Páginas

quinta-feira, 19 de maio de 2011

500 Milhas de Indianápolis - 100 anos da mais famosa corrida do automobilismo mundial

A primeira 500 Milhas de Indianápolis - 30/05/1911

(imagens: reprodução IMS)

O dia 29 de Maio será um dia histórico para o automobilismo mundial. Eu e quem mais que esteja lendo estas linhas, somos privilegiadas testemunhas da celebração do centenário da mais famosa prova de automobilismo da história desse esporte.

No final de semana em que se comemora o Memorial Day nos Estados Unidos, se comemorará os 100 anos da 500 Milhas de Indianapolis, prova que acontece anualmente no Indianapolis Motor Speedway. A prova é uma tradição americana que só não acontece no caso de chuva pois as condições da competição não permitiriam uma prova em pista molhada.

A pista que conta com 250,000 assentos permanentes para o público, foi criada em 1909 por Carl Fisher, James Allison, Arthur Newby e Frank Wheeler. Em 1906 Carl Fischer escreveu para o Motor Age Magazine falando sobre a necessidade da criação de uma pista de testes em Indiana.

Em 1908 foi adquirida uma área de 80 acres onde a pista seria construída. Em 1909 aconteceu a primeira competição no local, que curiosamente não foi automobilísta e sim uma de balonismo. Na ocasião a futura pista de competições era chamada de Indiana Motor Parkway.

Nesse ano foi formada a Indianapolis Motor Speedway Company, a empresa que construiria e administraria a pista oval de 2,5 milhas.

O primeiro evento de longa distancia foi uma corrida de 100 voltas vencida por Bob Burman com um Buick. O asfalto da época deixou a desejar e dois eventos, um de 250 milhas e outro de 300 milhas, tiveram dois acidentes fatais. As corridas da época atraíram um tal público que Carl Fischer entendeu que seria viável a criação de outro calçamento, no qual investiu US$ 150,000 para o assentamento de 3,2 milhões de tijolos, obra que foi concluída em 63 dias. Também vem daí a criação de um muro em torno da pista, na época com 80 cm de altura.

Os proprietários investiram certo. No Memorial Day de 1910 Ray Harroun venceu uma corrida de 200 milhas a bordo de um Marmon sendo visto por 60,000 espectadores. Com o público crescendo progressivamente, em 1911 planejavam uma corrida de longa distancia e estavam divididos entre uma de 24 horas e uma de 1000 milhas. O consenso foi uma de 500 milhas. Para esta edição foi estabelecida uma premiação total de US$ 25,000.

Surgiu o que passou a chamar-se 500 Milhas de Indianapolis, cuja primeira edição ocorreu em 30 de Maio de 1911. Os carros deveriam ser do tipo fórmula com motores de até 9800 cc. Alinharam para a largada 40 pilôtos e o vencedor foi Ray Harroun pilotando um Marmon. O público dessa corrida foi de 80,000 espectadores. A sua vitória foi contestada por Ralph Mulford mas Ray permaneceu com a honra de ter sido o primeiro vencedor de uma corrida que só deixou de acontecer durante a Segunda Guerra Mundial.
Marmon com o qual Ray Harroun se tornou o primeiro vencedor da 500 Milhas
Logo acima do volante a sua adaptação para a corrida, o espelho retrovisor,
o primeiro a ser utilizado em uma corrida de automóveis

Ray Harroun surgiu com uma novidade que hoje muitos esqueceram. Os carros da época levavam dois ocupantes, sendo um o pilôto e o outro um mecânico que lhe prestava auxílio também na pilotagem observando o cenário à frente. Ray correu sózinho e foi por isso foi considerado um risco potencial aos outros participantes. Alem disso os carros não usavam espelho retrovisor e Ray instalou um no seu Marmon e foi o único a correr com esse acessório nessa corrida inaugural.

Na prova do ano seguinte a premiação subiu para US$ 50,000 e tornou-se obrigatória a presença do mecânico no carro. O vencedor dessa foi Joe Dowson pilotando um National. O sucesso do evento acabou atraindo as européias Fiat e Peugeot, o que significava claramente um aumento muito grande da importância desse evento na visão dos fabricantes de automóveis.

Ray Harroun a bordo do Marmon 32
Comparado com os carros atuais parece mais um tanque de guerra
Não é à tôa que os vencedores eram tidos como heróis

Um comentário:

Joel Marcos Cesetti disse...

Já pensou freando o tanque, com aquela alvanca ali do lado.