Páginas

domingo, 22 de junho de 2014

Austria - Rosberg vence novamente. Atrás dele Hamilton e duas Williams vendo tudo.



Foi assim que terminou o GP da Austria de hoje. As Williams perderam a vantagem conseguida na classificação e outra vez a Mercedes fez dobradinha. Porem, dessa vez foram seguidos de perto pela Williams, que mostrou que neste ano é uma equipe bem superior à do ano passado.

Na mesma pista onde Rubens Barrichello foi um dos atores de um final dos mais melancolicos da categoria, as esperanças do torcedor brasileiro de F1 começaram em alta e acabaram em críticas. Felipe Massa largou na pole position mas terminou apenas em quarto. As Mercedes mostraram mais uma vez que são a equipe mais dificil de superar e isso deve seguir assim até o final da temporada. Portanto, não vejo demérito para a Williams ter perdido a liderança no curso da corrida.

Já a torcida brasileira não poupou criticas a Felipe Massa. O que se esperava de Massa era finalizar à frente de Bottas mas as críticas da torcida não levam em consideração que na Ferrari o desempenho dele era bem pior. Hoje mesmo durante a transmissão houve quem sugerisse a substituição de Massa por Felipe Nasser.

Com sol e pista mais quente, e com mínima previsão de chuva, a largada deu-se sem acidentes e Massa manteve a ponta, enquanto Rosberg ganhou a posição de Bottas que a recuperou ainda na mesma volta. Hamilton fez uma largada fenomenal e veio lá de trás para ocupar a quarta posição já na primeira volta. Na volta seguinte Vettel outra vez atestou o ano de azar ao praticamente parar o carro na pista. O que pareceu ter sido um problema eletronico, deixou de se manifestar e Vettel retornou ao ritmo normal mas sem quaisquer chances. E mais tarde ainda abandonou a corrida.

As trocas de pneus começaram na volta onze, pouco mais de 10% da corrida toda. Na volta 15 Massa foi ao box pela primeira vez, ainda na liderança. E a partir daí começaram os seus problemas na corrida. Segio Perez passou a ser o líder seguido por Nico Rosberg. A pit de Massa foi visivelmente mais lento do que o do seu companheiro Nico que entrou para a primeira troca na sequencia.

Na volta Massa ficou em 5o. sendo ultrapassado por Hamilton quando se encontraram na saída dos boxes. Nesta temporada ser ultrapassado por uma Mercedes significa não conseguir retomar a posição, coisa que se confirmou para Massa até o final da prova. Perez só veio para o seu primeiro pit na volta 29. Estava na liderança tendo largado na 16a. colocação. Uma performance notável, muito embora não tivesse carro para andar à frente das Mercedes, condição que pelo visto se estende à todo o restante do grid.

Vettel abandonou na volta 36 depois de uma corrida totalmente azarada com direito até a toque e quebra do bico dianteiro. Rosberg seguia na frente com Bottas em 2o. seguido por Hamilton e Massa. Quando Rosberg foi para o seu pit Bottas ocupou momentaneamente a liderança, a qual passou a ser de Massa quando Rosberg foi para o pit. Na volta 42 Alonso se tornou o lider durante o pit stop de Massa que retornou à pista apenas na 5a. colocação. Restavam aí mais de 20 voltas para terminar a corrida a os penus e a estratégia iriam prevalecer nas definições. É bom lembrar aqui que o fluxo de combustivel é um fator limitante e isso pode ter ditado a performance das equipes na primeira metade da prova.

Bottas apareceu em 3o. após o seu ultimo pit e Massa em 5o. com Perez na frente dele. Massa tinha dificuldade de se aproximar de Perez e isso iria se tornar um problema maior ainda quando Perez fizesse o seu ultimo pit. Dessa forma Massa ficaria na pista a uma tal distancia do seu companheiro que não poderia, pelas regras, usar o DRS.

Após o retorno de Perez à pista a corrida terminou como se configurava nesse momento, com Rosberg na liderança, Hamilton em 2o., Bottas em 3o. e Massa em 4o.

Duas coisas me parecem importantes serem citadas. No Canada a Mercedes teve problemas com os freios e nos instantes finais da corrida perdeu a possibilidade de vitória. Hamilton abandonou sem freios e Nico se segurava na pista com o que restava de condições dos seus freios. Hoje Hamilton recebeu um aviso pelo rádio de que os seus freios estavam trabalhando no limite. E nessa corrida, mais uma vez a Mercedes finalizou vendo nos seus retrovisores os concorrentes. Por isso penso que os freios das Mercedes podem acabar sendo vistos como um ponto fraco. Coisa que a equipe solucionaria no correr do campeonato, caso haja mesmo um deficiencia nesse item.

Outro ponto significativo foi a entrada da Williams na disputa das posições mais à frente. Se estivessemos falando da McLaren ou das duas Red Bull, seria previsivel. Mas a Williams não começou nesse campeonato mostrando condições para estar na frente das grandes. E esteve ela própria nessa prova. Acho que aqui vale o que coloquei num post anterior sobre observar as disputas a partir da terceira posição em cada prova. Aí está a briga que vai dar a cara final do campeonato. Ninguem pensa na Mercedes perdendo a liderança e assim as outras disputas ganham espaço em quaisquer analises. Desse ponto de vista eu diria que a Williams deu um concreto passo à frente nesse final de semana. Nada impede que ela continue assim. Ao contrário da Ferrari que terminou com Alonso em 5o. e Raikkonen em 10., uma típica formação da Ferrari em final de corrida nos ultimos anos. Não há duvidas de que hoje Felipe está num lugar melhor.

Nenhum comentário: